• Envie para um amigo

    Favor Preencher
    Favor Preencher
    Insira um Email Válido
Artigo

Doença de Alzheimer: confiando no Salvador

Robert Smith 11 de Março de 2019 - Problemas da Vida

O trecho abaixo foi retirado com permissão do livro: Doença de Alzheimer, de Robert Smith, Série Aconselhamento, Editora Fiel.

“Vovô, o senhor colocou as chaves do carro na geladeira.”

O que poderia ter sido um engano divertido foi preocupante para o neto de 30 anos de Joe e para outros membros da família Evans. Esse evento estava entre uma série de sintomas que o patriarca da família vinha apresentando. Vovô havia perdido os óculos e a família os encontrou em cima de sua estante no escritório. Algumas vezes, ele parecia não reconhecer onde ele mesmo estava. O senhor idoso era um professor de matemática aposentado de 75 anos que fora ativo a vida toda e, mesmo na aposentadoria, continuava gostando de golfe. Após uma sucessão de eventos que incluíam pegar o caminho errado quando voltava para casa da aula de golfe, esquecer-se de colocar no correio as cartas que estavam no banco da frente do carro e não lembrar o nome de um amigo próximo, a família se perguntava se havia um problema maior do que simples esquecimentos ou distrações. Também era desconcertante perceber que o avô, em geral gentil e piedoso, parecia estar mais facilmente irritável do que o normal.

O episódio com a geladeira os levou a procurar assistência médica. Eles o levaram ao médico da família para exames físicos completos. A ausência de qualquer causa potencial tratável para problemas de memória (como, por exemplo, baixo nível do hormônio da tireoide, deficiência de vitamina B12, tumor cerebral, derrame ou coágulos no cérebro) foi uma notícia útil, mas desanimadora. Foi útil saber que ele não apresentava nenhum desses problemas, mas descobrir que não havia tratamento para reverter o quadro foi desanimador. Ainda que não houvesse um exame específico para diagnosticar a doença, o médico acreditava que Joe estava sofrendo os primeiros estágios da Doença de Alzheimer (DA).

Se você tem um ente querido diagnosticado com DA, o cenário descrito anteriormente pode soar bem familiar, ainda que os detalhes sejam diferentes. Você está enfrentando uma multidão de perguntas sobre tratamentos, opções de cuidado a curto e longo prazos, além de como será capaz de lidar com as mudanças que virão. Esteja seguro de que a graça de Deus o ajudará em cada novo passo nessa batalha.

Como um membro da família e/ou alguém que planeja ajudar a cuidar de alguém com a Doença de Alzheimer, você também está enfrentando desafios significativos que mudam vidas. No curso de todos esses desafios e mudanças, lembre-se de que ambos, você e seu ente querido, têm um Salvador que sabe como é sofrer e que oferece sua força e seus recursos.

Volte-se a ele para receber o consolo que Paulo descreve em 2 Coríntios 1.3-4: “Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É ele que nos conforta em toda a nossa tribulação, para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia, com a consolação com que nós mesmos somos contemplados por Deus”.

Confie no Deus de consolo e sabedoria para guiar e providenciar cuidados para você e seu ente querido. Ainda que você não conheça os problemas específicos que a doença produzirá, dependa da Palavra e da sabedoria de Deus para conduzi-lo enquanto você estiver trilhando essa estrada com ele.

Os estágios iniciais

Desde cedo, você vai encarar a dificuldade de não haver cura conhecida ou tratamento para a Doença de Alzheimer (nada reverterá ou diminuirá a velocidade do avanço na condição de seu ente querido). Enquanto estiver aprendendo como a doença afeta seu ente querido, você descobrirá que o cérebro está sofrendo um dano em nível celular que é progressivo e irreversível. Esse dano afetará a memória, o pensamento e a capacidade de aprender, sendo responsável pelo leve problema de memória que você provavelmente já percebeu. Descobrirá também que, “enquanto o Alzheimer avança pelo cérebro, leva a um aumento grave dos sintomas, incluindo: desorientação, mudanças de humor e de comportamento; profunda confusão sobre eventos, tempo, e lugar; suspeitas infundadas sobre a família, os amigos e cuidadores; perdas mais sérias de memória e mudanças de comportamento; e dificuldade para falar, engolir e andar”[i].1 Embora seja doloroso pensar em seu ente querido atravessando um quadro assim, entender as consequências da doença o ajudará a considerar possíveis problemas e reconhecer que o declínio da memória e da habilidade para pensar e raciocinar com clareza, aliado ao discernimento prejudicado, vai requerer a sabedoria e a graça de Deus. É importante compreender que haverá um momento em que seu ente querido será incapaz de realizar até mesmo as mais simples tarefas necessárias na vida diária, e é conveniente começar a se preparar para isso.

Ao mesmo tempo que começa a lutar com a realidade de como a doença avança, é importante perceber que há coisas que você pode fazer para impedir que seu ente querido se deteriore muito rapidamente. Nas primeiras fases do Alzheimer, a pessoa deve “estar envolvida e ativa tanto quanto possível e pelo maior tempo possível”. Uma maneira de ajudar seu ente querido com Alzheimer a permanecer engajado é planejar formas de ele passar algum tempo com familiares e amigos fazendo atividades das quais gosta. Por exemplo, se ele gostava de jogo de damas e dominó, joguem esses jogos juntos. Mesmo que a pessoa não seja mais capaz de planejar e pensar como no passado, ainda pode se divertir com o jogo. Tente escolher jogos ou atividades que requeiram pouca memória de curto prazo. Você ainda pode encorajar e até mesmo praticar exercícios apropriados junto com seu ente querido. Isso pode ajudar muito, tanto o corpo como a mente. Encoraje os amigos dele a participarem dessas atividades como uma forma de mantê-lo interessado, ativo e socialmente conectado. Essas atividades permitem que todos os envolvidos diretamente se divirtam juntos.



[i] Alzheimer’s Association, “What Is Alzheimer’s?”, www.alz.org/alzheimersdementia/what-is-alzheimers (No Brasil, exite a Associação Brasileira de Alzheimer, www.abraz.org.br

Hits: 230


O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo e / ou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações



Robert Smith
Autor Robert Smith

Robert Smith (MD) é médico aposentado, autor de livros na área de aconselhamento, conferencista, membro da Association of Certified Biblical...